ZAGUEIRO É SUSPEITO DE ASSALTO E FAMÍLIA FAZ PROTESTO APÓS PRISÃO.


Familiares e amigos do zagueiro do Palmeira de Goianinha Jonatas Thiago, o Thiago Potiguar, farão um protesto pedindo "mais atenção das autoridades" em relação à prisão do jogador, detido no último sábado (21) após a vitória do seu time sobre o Baraúnas, suspeito de envolvimento no assalto a uma casa de praia em Barreta, no litoral Sul do estado. As vítimas na ocasião foram dois policiais civis, que tiveram celulares, armas e o carro roubados pelos criminosos.


De acordo com a mulher de Thiago Potiguar, o protesto vai acontecer em frente à 1ª Delegacia de Polícia Civil de Parnamirim, no bairro de Rosa dos Ventos. "Quem conhece sabe que ele é inocente", afirma a jovem. A postagem teve até momento da publicação desta matéria 90 curtidas e 14 compartilhamentos.

Segundo Willian Souto, gerente de futebol do Palmeira de Goianinha, os registros do clube mostram que Thiago treinou nos períodos da manhã e da tarde no dia do assalto. Porém, o dirigente não confirmou se ele estava na concentração, local onde vive, no período da noite, quando aconteceu o crime.

"O que posso garantir é que Thiago treinou no dia 4, nos períodos da manhã e da tarde. Mas não tenho como dizer se ele dormiu no alojamento. O fato é que ele morava lá", disse o dirigente. 

O assalto aconteceu no dia 4 de fevereiro na praia de Barreta, no litoral Sul do estado. Além de Thiago, outros três homens teriam participado da ação. Na delegacia, o atleta de 22 anos disse que estava concentrado no dia do crime. "Posso provar minha inocência, tenho como provar que no dia 4 eu estava concentrado no clube", declarou.

na delegacia, o rapaz foi questionado peloa policial que foi vítima do assalto. "Nós conversamos e eu lhe chamei de 'meu filho', porque você se parece com o meu filho. Eu disse: meu filho, não faça nada com a gente porque estamos de saída daqui. Pegue as coisas", disse ela, antes de entregar o aparelho celular e chave do carro. "Vá com Deus", completou a agente. Na sequência, o rapaz disse que não estava no local do crime. "Eu não estava não, senhora", declarou.

O assalto aconteceu no dia 4 de fevereiro na praia de Barreta, no litoral Sul do estado. Além de Thiago, outros três homens teriam participado da ação. O Palmeira havia jogado no dia 1º e fevereiro - quando estreou no Campeonato Potiguar - e depois jogou no dia 8, quando enfrentou o ABC no Estádio Frasqueirão, em Natal.

Fonte: Site Tribuna do Norte.

PUBLICIDADE



Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
ESTAMPARIA 2F ARTIGOS PERSONALIZADOS

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE