QUATRO EMPRESAS DEVEM USAR PRESOS NAS OBRAS DE MOBILIDADE EM NATAL.


Programa Novos Rumos é iniciativa do Tribunal de Justiça do RN. 

Cinquenta apenados serão contratados para iniciar os trabalhos em abril.

Quatro construtoras demonstraram interesse e devem ser parceiras do programa Novos Rumos, do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte. O objetivo é a ressocialização de presos que cumprem penas no sistema carcerário potiguar. Segundo o TJ, a partir desta semana, apenados do regime semiaberto, aberto e egressos do sistema penitenciário devem se apresentar nos canteiros de obras para fazer os exames necessários. Cinquenta contratados irão atuar, no início de abril, como operários nos serviços de mobilidade urbana de Natal.

As empresas que adotaram o sistema de contratação de apenados são: EIT Construções, Construtora Ramalho Moreira, Queiroz Galvão e Crisal. Juntas, as empresas cumprem o estabelecido por um decreto municipal que firma o compromisso de reservar 6% das vagas de trabalho para cumpridores de penas e medidas alternativas.

“Esta é uma oportunidade única para esses homens. Estamos recebendo uma mão de obra capacitada, esforçada e que se empenha mais porque reconhece que esta é uma chance única para recomeçar a vida”, afirma Dâmocles Trinta, presidente do consórcio para as obras de mobilidade urbana de Natal. Os apenados são treinados e capacitados antecipadamente em cursos preparatórios de construção civil promovidos em parceria com instituições de ensino da cidade.

Novos Rumos

Ainda de acordo com o Tribunal de Justiça do RN, cerca de 800 atendimentos a apenados do regime semiaberto, aberto e egressos já foram realizados através do programa Novos Rumos. Coordenado pelo juiz Gustavo Marinho, o núcleo realiza um trabalho de reintegração social da população carcerária do Rio Grande do Norte desde 2009 e integra a grade de programas sociais do próprio TJ em parceria com o programa Começar de Novo, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

O mais recente trabalho de ressocialização feito pelo núcleo do TJRN foi a geração de emprego para os apenados na Arena das Dunas. No total, 145 presidiários trabalharam na construção do estádio. “Sabemos da dificuldade que os apenados têm para se inserir no mercado de trabalho. Com esse trabalho, nós estamos promovendo a reinserção desse público na sociedade”, afirma o magistrado.

No Brasil, o índice de reincidência no crime, de acordo com o CNJ, gira em torno de 60% a 70%. Por meio do programa Novos Rumos na Execução Penal, a Corte potiguar pretende que o maior número de empresas sejam visitadas para que se amplie a conscientização da importância de se dar uma nova chance para os que cumprem pena no regime semiaberto ou para os que já se encontram fora do sistema prisional. “A presença de presidiários nas obras de mobilidade urbana é resultado de um trabalho contínuo. Não podemos parar”, ressalta Marinho.

Fonte: Portal G1 RN.

Comentários

  1. BlogGalinhosOnline24 de março de 2014 16:06

    Cinquenta apenados serão contratados para iniciar os trabalhos em abril.

    ResponderExcluir
  2. Cinquenta apenados serão contratados para iniciar os trabalhos em abril.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
ESTAMPARIA 2F ARTIGOS PERSONALIZADOS

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE